Enquanto ela expurga seu arquivo, Norma Kamali fala sobre os anos 80 e o desapego


  • Arquivo de Norma Kamali em What Goes Around Comes Around
  • Arquivo de Norma Kamali em What Goes Around Comes Around
  • Arquivo de Norma Kamali em What Goes Around Comes Around

Norma Kamali, que está comemorando 50 anos como estilista independente, tem uma longa lista de estreias em seu nome: ela foi uma das primeiras pessoas a adaptar silhuetas e tecidos de activewear para a moda, e seu casaco de dormir dos anos 70 (Rihanna usou uma versão Kamali mais recente) é um progenitor do soprador onipresente. Embora ela frequentemente fosse a primeira, Kamali nem sempre lucrava com suas inovações. “Quando eu era mais jovem, ficava muito frustrado”, conta o designerVoga,“Porque aqui estavam essas grandes empresas pegando [minha ideia] e promovendo-a e ganhando muito dinheiro com ela, e eu estou pensando:‘ Como vou pagar o aluguel? Como vou comprar tecido? '”Mesmo assim, como diz o ditado, ela perseverou, e agora Kamali está sendo celebrada e apresentada a uma nova geração por meio da venda de seus arquivos em What Goes Around Comes Around no SoHo.

Kamali só tomou conhecimento desse esconderijo de roupas há cerca de um ano. “Na verdade, pensei que havia desmontado todo o meu arquivo quando meu negócio completou 50 anos”, diz o designer. E ela não está brincando. Tendo decidido se livrar de tudo, ela vendeu seu apartamento e seus pertences. “Eu simplesmente sentia que minha casa, minhas coisas, estavam me possuindo”, explica Kamali. 'Você sabe que eu salvei coisas, colecionei coisas - coisas lindas, lindas - e olhei em volta e senti que era tudo tão bonito que não pude ir além.' Criar uma página em branco abriu espaço para Kamali ser criativo.

O designer pode ter pensado que ela tinha que superar Kondo Marie Kondo, mas, no processo de ter alguns arquivos antigos descartados, racks de peças vintage foram descobertos em um depósito de contabilidade externo, de todos os lugares, e são esses que o vintage revendedor tem em oferta. Vão desde peças feitas de tecido industrial de pára-quedas até looks dramáticos com drapeados. Há uma abundância da moda dos anos 80, que é tendência hoje. Kamali, que é regularmente solicitada a reintroduzir estilos anteriores em sua coleção atual, recentemente fez algumas jaquetas que têm uma vibe dos anos 80 sem serem baseadas em uma peça vintage. Uma referência específica não funcionaria, ela explica, 'porque há um olho diferente agora, há uma atitude física diferente.'

Embora a designer diga que está surpresa com o revivalismo dos anos 80, ela vê paralelos entre a Década da Ganância e agora. “Se você realmente pensar sobre isso”, Kamali reflete, “os anos 80 foram uma época de empoderamento das mulheres. As mulheres estavam entrando na força de trabalho, tendo novas atitudes em relação a si mesmas, então [os anos 80 parecem] atuais de uma forma realmente nova - quase como descrevi aquela jaqueta, não pode ser a mesma. ” O futuro pode ser melhor, entretanto; para Kamali, simplesmente não precisa ser maior. “Não guardo nada que não esteja usando”, diz o designer, que acredita que os objetos podem ter “vidas” diferentes com pessoas diferentes. “Há algo realmente lindo nisso”, diz ela, “que amo muito mais do que guardar as coisas para mim”.